Sobre

Cicloturismo: para inspirar e realizar

Em operação desde 2009, o Pedal Nativo promove o cicloturismo através da produção de conteúdo e da organização de viagens. Publicamos diversos relatos de viagens, entrevistamos grandes viajantes, demos muitas dicas, organizamos exposição de fotos e criamos o primeiro Curso Online de Cicloturismo.

Realizamos viagens autônomas por Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Brasília e Goiás, além de Argentina, Alemanha, Áustria e Itália. Já conduzimos grupos por viagens em roteiros próprios por Santa Catarina.

Atualmente fazemos o receptivo de ciclistas que desejam conhecer Florianópolis de bike, organizamos viagens em grupo e nos preparamos para enfrentar, em 2018, a travessia da Cordilheira dos Pirineus, na divisa entre a Espanha e a França.

“Pedal Nativo remete ao prazer espontâneo da aventura sobre uma bicicleta. Aquela emoção que guardamos com carinho, das aventuras na infância pelas ruas do bairro. Podemos ficar até alguns anos sem pedalar, mas basta girar o pedal para sentir tudo isso voltando. Afinal, nascemos para isso.”

pedal-nativo

7 comentários em “Sobre

    • setembro 18, 2014 em 9:16 am
      Permalink

      Olá, Itamar. Já pedalei por lá e tenho belas rotas mapeadas. Não temos previsão de curto prazo, mas com certeza criaremos um passeio na região. A sugestão é que você se inscreva no blog e seja informado dos passeios futuros.

      Abs

      Fábio Almeida
      Pedal Nativo

      Resposta
    • outubro 23, 2014 em 7:54 am
      Permalink

      Olá, Rodrigo. A cada passeio a saída é marcada em um ponto diferente, mais próximo do trajeto a ser percorrido. Fique atento às postagens aqui no blog e no Facebook (facebook.com/pedalnativo)

      Resposta
  • janeiro 21, 2015 em 6:25 pm
    Permalink

    Opa Fábio,
    Tudo certo? Sou amigo da Ada e vou descer o litoral do RJ e SP em direção a Curitiba em breve. Ela me disse que você tinhas umas dicas por já ter feito o trecho Bertioga – Paraty.
    Abraço,

    Resposta
    • janeiro 22, 2015 em 10:39 am
      Permalink

      Olá, Cadu. Bom dia! Sim, fiz este trajeto agora em setembro e a região é espetacular. Recomendo principalmente o trecho entre Paraty e Ubatuba, pela beleza da mata atlântica em conjunto com a estrada pouco movimentada e com largo acostamento. De Ubatuba em diante há mais movimento e o acostamento praticamente some. Mas as paisagens ainda são fantásticas e há a possibilidade de conhecer Ilhabela. Fiquei em um camping fantástico por lá, de frente pra praia. Gostei tanto que tirei um dia de descanso pra aproveitar.

      Mais para baixo há problemas de segurança, principalmente entre Santos e Peruíbe. Há inúmeros relatos de cicloturistas assaltados ao passar por Praia Grande. Minha dica seria que é que você pedale até o Guarujá e lá pegue ônibus para Ilha Comprida, seguindo a pedalada por lá. Depois de Cananéia as estradas acabam, mas vc pode continuar pedalando pelas praias. Um amigo meu, o Waldson, já fez este trecho e depois subiu de trem para Curitiba. Ele pode lhe ajudar com as dicas. Veja lá: http://pneunaestrada.blogspot.com.br/.

      Fique a vontade para perguntar.

      Abs

      Resposta
      • janeiro 22, 2015 em 1:13 pm
        Permalink

        Opa Fábio,
        Muito obrigado pelas dicas. Vou escrever pro teu amigo pra pegar umas dicas com ele. Esse esquema de segurança é uma meleca! É muito louco, tenho mais receio de pedalar no Brasil do que em qualquer outro país do mundo.
        abraço,
        cadu.

        Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *