Montain bike. Mesmo.

Sim, sou eu

Montanha para todos os lados. Todos os gostos. Com visual delicioso e uma boa acolhida de comunidades rurais. Ah, se todo o final de semana fosse neste nível… No sábado, logo pela manhã, saímos de carro com destino a Santa Rosa de Lima, onde seríamos personagens em uma filmagem. O assunto era a associação de pousadas “Acolhida na Colônia” e um roteiro inédito de cicloturismo desenvolvido pelo Caminhos do Sertão.

Logo na chegada, almoço no sítio. E que almoço. Só tem que ter cuidado porque a idéia é pedalar a tarde. Um cafezinho pra manter a pulsação em ordem e vamos às bikes. E aos morros. Localizada no pé da serra, esta região me lembra o mar de morros do interior de Minas Gerais, mas com um desnível maior ainda. Quando não estamos subindo, é hora de usar os freios.

Final de tarde, uma parada para o café na casa da Dona Tabita e segue o comboio até o Balneário Paraíso das Águas. Lá, uma enorme piscina de águas termais nos aguardava, com direito a uma cervejinha pra relaxar de vez. Opa, mas tem que pedalar mais um pouco ainda. E com morro! Mas como não tem hora pra chegar, a volta à pousada se torna um delicioso passeio iluminado apenas pela lua cheia.

Janta, dorme, acorda, toma café e vai pedalar! Neste segundo dia o objetivo é a vizinha Anitápolis. De novo acompanhados pela equipe de filmagem. Passamos rapidamente pelo centro de Santa Rosa e pelo canteiro de obras de uma PCH. Até lá, uma beleza de pedal. Luz da manhã, morros suaves e clima agradável. Mas avisaram. Seria mais puxado que a véspera. E dali a pouco começou. Uma subida longa e, em alguns pontos bastante inclinada. Destas de fazer a bike empinar a roda diantreira a cada aplicação de carga no pedal. Uma suadinha nos pontos sem sombra e o morro está vencido. Era só isso? Não. Mas pelo menos tem um downhill pra alegrar e soltar o freio. E começamos a subir de novo. Uma subida esquisita, que não contornava totalmente as encostas, de forma a aliviar a inclinação. Parece que o negócio ali era economizar estrada pra chegar mais rápido. De carro. E fui indo. Hora pedalando, hora empurrando. Longa e muito inclinada. Curva após curva.No alto apenas a Hila, que sobe tudo como se não fosse com ela. De lá, banco baixo mais uma vez e toca pra pousada Recanto das Cachoeiras.

Michelle passeando no jardim

Com o grupo novamente junto, bastava esperar o almoço. Colonial, claro. Uma delícia, o melhor da viagem. Depois, mais uma entrevista com o pessoal do vídeo e toca de volta pra casa. Como corpo cansado, no vale, e a alma leve, lá no alto do morro.

Obs: mais fotos ali em cima, no link do Flickr

7 opiniões sobre “Montain bike. Mesmo.

  • maio 4, 2010 em 23:34
    Permalink

    E aí, Fábio! Descobri teu blog pelo facebook. Como vão as coisas? Pelas fotos, vi que tás fino e que a Michelle parece que saiu do curso ontem. Já o Arthur, meu deus, a imagem que eu tinha dele na memória era a de um bebê bochechudo… Quanto tempo!

    Olha, essa pedalada de Santa Rosa até Anitápolis é dureza, hein? Quando eu morava em Anitápolis o máximo que fui pedalando foi até o distrito de Varginha, que fica no meio do caminho, e parando de vez em quando pra roubar laranja.

    Grande abraço

    • maio 5, 2010 em 20:03
      Permalink

      Fala cidadão!

      Procurei uns Boing por lá, mas apenas um caminhão de uma sei-lá-o-que Boing passou por nós. Então a encrenca lá é forte mesmo, mas o visual faz vale a pena. E os pés de laranja continuam na beirada da estrada, dando sopa 🙂

      A Michelle agradece o comentário. Mas e você, como está se saindo como pai?

      Abração e parabéns pela filha!

  • maio 5, 2010 em 13:34
    Permalink

    Olá,

    Legal sua história. Temos muito oque explorar ainda em nossa região que é um bé senario para todo o tipo de aventura. Pena que pouca gente conhece, mas vamos assim aos poucos incentivando cada vez mais o verdadeiro mountain bike. Para sair definitivamente das pedaladas urbanas que são muitas vezes mais arriscadas que um pedal pela serra. Vamos tirar a mtb do asfalto!!
    Abraço,

    • maio 5, 2010 em 20:04
      Permalink

      Obrigado pelas dias hoje a tarde, Edemar. Tem que remarcar é o passeio pra São Pedro de Alcântara!

      Abraço

  • maio 9, 2010 em 16:35
    Permalink

    Show de bola Fábio,
    que legal que esse roteiro do pessoal do Caminhos do Sertão ficou bacana!! Fico feliz que você participou e gostou!!! Conheço eles e admiro pra caramba o trabalho deles! hehehe

    É isso ae, vou acompanhando as novidades no seu blog aqui, gostei bastante!! Bom pedal ae, pra uma hora chegar no nivel da Hila! heauiheauiahei

    Abraçs

    • maio 10, 2010 em 09:31
      Permalink

      Obrigado pelos comentários, André. Também sigo e recomendo o Pedarilhos. Abraço e até uma pedalada!

  • maio 14, 2010 em 18:31
    Permalink

    Rapaz, não sei não como tô me saindo, mas é muito bom, tô curtindo. Abs

Os comentários estão desativados.