Marins em fotonovela

Ao final do feriadão na serra tem gente que pode ficar olhando para isso e sentindo a dor nas coxas
Mas eu prefiro me lembrar de imagens como esta
Mas então, vamos ao começo. Tanque cheio, bike pendurada e Passat na serra
Barraca montada no final da luz do dia e um foguinho para esquentar a noite
Eu e meus parceiros saindo para a caminhada. O pequeno João ainda estava acordando
Ta aí o objetivo do dia, a 2.421m. E eu, neste momento, a uns 1.650m
Dizem que este fungo vermelho é sinal de ar puro
Saindo da trilha, ainda com um pouco de frio
Um jardim natural
E a subida estava apenas no começo
Ah, a luz da manhã
A bem da verdade, se diz que a subida começa mesmo aí, no Morro Careca
E a vegetação começa a mudar
Pausa para a maçã
Siga a luz
Ok… Ação!

 

 

Já a mais de 2.200m, alguns seguem para a travessia, rumo ao Itaguaré
Aqui, as nuvens vêm de baixo e, as vezes, a sensação não é legal
Este é o caminho da travessia. Rambo faria em 24h, os demais levam 2 dias
Este é o Itaguaré
Pedras em formatos estranhos lá por cima

Falta de ar e uma sensação ruim. E fiz meia volta quando faltavam 40 metros
O Marins se guardando. O topo mesmo ficou para uma próxima
Então tá. Dia seguinte, pátio do sítio segue cheio de carros
Bike na terra que hoje o programa é outro
A bênção
Começando a descida pelo vale
Flores!
Pedalando sem capacete. Melhor: passeando de bike
Descendo, descendo
Simpático, mas será que é limpo?
Conhecendo a pousada/camping/museu do Sr Miyagi dos picos da Mantiqueira
Esta é a vista dos Marins a partir de MG
Subindo de volta. Devagar que o ar aqui é rarefeito
Só sobrou a minha. Então o negócio é desmontar e começar a volta pra casa
Ta aí o pedalado

Era isso. Mais e mais fotos no meu perfil no Flickr. Thanks for flying with Náculo.

2 opiniões sobre “Marins em fotonovela

  • maio 31, 2011 em 15:01
    Permalink

    Que aventura! Eu sou fascinado por esses cenários montanhosos e me amarrei nas suas fotografias! Belo lugar!

    Respondendo sua pergunta no meu blog: não tenho o tracklog de GPS, mas é um passeio que não tem erro pois o trajeto é mt fácil. Quando quiser pedalar pela região entre em contato, podemos marcar alguma coisa.

    Abraço

    Resposta
    • junho 1, 2011 em 05:30
      Permalink

      Obrigado pelos comentários, Michel! É uma região que vou desde criança e não canso de voltar. Devolvo o convite para um pedal na região dos Marins. É só marcar!

      Abraço

      Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *