Cicloturismo: de maluquice a algo “cool” em 30 anos

O evento será realizado de 1º a 3 de maio, mas os ingressos já estão esgotados. Não se trata de uma edição do Rock in Rio ou do campeonato mundial de alguma famosa modalidade esportiva, mas do primeiro Festival de Cicloturismo do Reino Unido. Reportagem do The Guardian mostra que, em um espaço de 30 anos as viagens de bicicleta passaram de uma diversão de malucos para algo “cool”, desejado por muitos.

2bca82fa-2fa5-4a5a-b931-a7506dddeb22-bestSizeAvailable

O jornalista Travor Ward relata esta mudança através de experiências próprias:

“Em meados da década de 1980 eu fiz algo que os membros do meu clube de ciclismo local acharam hilário – pedalei para o deserto do Saara e voltei. Em seus calções de lycra e agasalhos de corrida, eles riram da minha bicicleta, que, carregada com alforges, barraca, fogão, saco de dormir, pneus sobressalentes e até uma pequena cadeira dobrável, tinha se transformado de uma elegante lâmina de aço em algo parecido com as consequências de uma explosão.

Minha humilhação continuou nas partes mais remotas da Tunísia e Argélia, onde grupos de crianças saudavam minha chegada a suas aldeias jogando pedaços de pedra em minha cabeça.

Parece que eu estava à frente do meu tempo – cicloturismo é agora considerado legal. Mesmo ciclistas de estrada de alto desempenho estão trocando suas máquinas de corrida de carbono para pesadas bicicletas de turismo. E, quando em territórios desconhecidos, eles estão mais propensos a serem recebidos com endereços de e-mail e solicitações do Facebook do que com uma saraivada de pedras.””

Já tendo viajado por Iran, Mongólia, Escandinávia, EUA, Austrália e Nova Zelândia, Tom Allen, será um dos palestrantes do evento britânico. “A maioria das pessoas que me deparei que estão planejando grandes aventuras em bicicletas não são realmente os ciclistas. Às vezes, eles são tipos que valorizam a vida ao ar livre e se atraem pelo desenvolvimento físico e pela gama de distâncias que você pode cobrir pedalando. Às vezes, são pessoas com pouco dinheiro, que procuram uma maneira de viajar para longe de forma barata. Às vezes, eles acabaram de ler um livro ou blog e pensam “isso parece incrível””, diz.

“A ideia de um ano sabático está se tornando cada vez mais popular, em parte devido aos blogs e mídias sociais. A ideia de atravessar continentes de bicicleta é assustadora, mas ver todos aqueles que foram antes, seguindo todos os seus passos ao longo do caminho, deu a mim e meu marido a confiança de que nós também poderíamos fazê-lo”, afirma Laura Moss, organizadora do encontro.

Brasil – Por aqui, parece que estamos em um estágio intermediário. Apesar de muitos ainda considerarem uma maluquice o simples fato de pedalar fora de parques ou ciclovias, um número cada vez maior de pessoas tem experimentado, e aprovado, as viagens sobre a bicicleta. Para os que buscam inspiração, há diversos viajantes brasileiros hoje na estrada, postando fotos e relatos incríveis. Pedalando pela América estão a Ada Cordeiro, a Carol Emboava e o Beto Ambrosio. Além disso, o nosso “festival de cicloturismo” já está em sua 13a edição. Promovido pelo Clube de Cicloturismo do Brasil, o encontro anual acontece em Campos do Jordão (SP) e reúne mais de uma centena de viajantes de todo país.

VestígiodeAventura_interna

Se empolgou? Quer botar sua bicicleta na estrada? Confira dicas para iniciantes neste post.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *