Vivência Outdoor: aprendendo e ensinando

Vivência Outdoor: aprendendo e ensinando

Cicloturismo, escalada, trekking e outras atividades ao ar livre funcionaram como imãs para quase 90 pessoas, que foram até Socorro, no interior de São Paulo, participar do Vivência Outdoor. Foram dois dias de muito aprendizado e troca de experiências de quem não sentiu falta alguma de TV ou shopping durante o fim de semana que passaram. Com todos – público e organizadores – acampando, foram realizadas palestras e oficinas com blogueiros e convidados. Estive lá como único “representante” dos cicloturistas e passei um pouco da magia que é viajar de bicicleta e dar dicas de como começar na prática. E, entre o público, apareceu de tudo: de ciclistas aventureiros da Serra da Mantiqueira a um casal que está planejando sua primeira viagem para a Patagônia.

Na correria da organização, ainda pude aprender sobre temas que há muito me interessavam, como bivaque, acampamento em rede e a tecnologia dos sacos de dormir. Nada como ter especialistas dispostos a compartilhar informações. Uma troca muito bacana.

O evento foi organizado por um grupo de blogs associados à Rede de Blogs Outdoor: Pedal Nativo, Fui Acampar, Trekking Brasil, Fé no Pé, A Montanhista, Seu Mochilão e Expedição Andando Por Aí. Além disso, o Vivência contou com 5 patrocinadores e 11 apoiadores, não deixando ninguém sem brinde :-).

Abaixo, fotos de Luan Gesteira, Elias Maio e minhas. Confira mais imagens e informações no site do Vivência Outdoor.

O inventário da tralha

O inventário da tralha

Salve, salve!

DSC_0088

A minha viagem para o Circuito das Araucárias foi preparada com uma boa antecedência. Foram meses pensando em roteiro e procurando e atualizando os equipamentos. Como resultado, levei o que considero uma bagagem que me permitiria viajar por mais tempo e levando a menor quantidade possível de peso. Isso, claro, dentro de minhas limitações orçamentárias.

DSC_0091

De volta do circuito, resolvi fazer um inventário de tudo que foi levado. Para ter tudo anotado e facilitar a composição das bagagens para as próximas. E é esta lista que compartilho abaixo com os colegas. A título de informação, foi tudo acondicionado em um par de alforges com 20l cada, um saco estanque de 40l e uma bolsa de guidão de 7l.

E quando vc viaja, qual é o tamanho da lista?

Bermuda de pedal
Calça de pedal
Três meias
Duas cuecas
Segunda pele verão
Segunda pele inverno
Calça moletom
Fleece
Capa de chuva
Calça impermeável
Polaina impermeável
Sapatilha
Chinelo

 

Shampoo
Gel de barba
Barbeador
Desodorante
Lâmina de barba
Repelente de insetos
Sabonete
Protetor solar
Toalha

 

Frango pronto
Carne seca pronta
Feijão pronto
Arroz integral
Macarrão integral
Manteiga
Café

 

Fogareiro
Panela com tampa
Garfo
Colher
Marmita
Canivete
Cafeteira
Caneca do Pedal Nativo
Esponja
Duas caramanholas

 

Chave múltipla
Chave de boca ajustável
Óleo de corrente
Kit de remendo
Câmara reserva
Bomba
Corrente e cadeado

 

Barraca
Saco de dormir
Isolante térmico
Travesseiro inflável

 

Maquina fotográfica
Celular
GPS
Farol
Lanterna traseira
Carregador de celular
Carregador de pilha
Kindle
Tripé
Caixa de som
Fone de ouvido

 

Relaxante muscular
Analgésico
Gaze
Esparadrapo
Água oxigenada
Atadura
Pomada para assadura
Antiácido

Parques dos EUA terão estrutura para cicloturistas

Bike-Camping
Foto: Lily Monster (CC-BY-NC-2)

Quatro parques estaduais de Montana, no Noroeste dos EUA, irão receber áreas de acampamento feitas especificamente para cicloturistas. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (25). Cada estrutura poderá acomodar até 10 barracas e contará com bicicletário, área para fogueira, armários resistentes a ursos (para alimentos), água potável, oficina para bicicletas, pontos de energia e abrigos cobertos, com mesas para lanche.

Para o porta-voz do serviço de parques de Montana, Patrick Doyle, as mudanças são necessárias para se adaptar a uma nova forma de turismo. Ele afirma que há um crescente número de pessoas que vão para Montana utilizando rotas de ciclismo de longa distância e que esta é uma maneira dos parques estaduais se adaptarem a esta nova realidade. Doyle ressalta ainda que estas obras têm um bom custo-benefício para os parques.

Os trabalhos terão início na primavera do hemisfério norte, outono no Brasil, nos parques de Whitefish Lake, Flathead Lake-Wayfarers, Placid Lake e Salmon Lake.

8617845358_632170a7ae_o

No Brasil, o acampamento é permitido em poucos parques nacionais e estaduais. No Parque Nacional da Serra da Bocaina, entre os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro, o camping é autorizado e já foi feito por este que vos escreve (confira o relato). Em outros parques é permitida apenas a entrada em locais específicos, com saída obrigatória até o fim do dia. Há ainda vários outros totalmente fechados à visitação do público. É o caso do Parque Nacional de São Joaquim, em Santa Catarina, onde há um movimento pela abertura das trilhas, para que a população conheça as belezas da região, intitulado Conhecer para Preservar.

*Com informações da Rádio Pública de Montana.